Afinação da Bateria Parte 1 – Envelope Dinâmico

Afinação da Bateria - Como ter um som perfeito

Pele, Baqueta, Madeira, Tambor, Profundidade, Diâmetro, Aro, Prato, Espessura, Altura, tamanho…. PEGADA!  

“- Ai meu Deus! O que mais está faltando?”

– É meus amigos, tudo isso influencia, é a soma dos fatores alterando o resultado do produto, nesse caso o produto é o seu som o chamado Envelope Dinâmico

Hoje com a tecnologia que temos disponíveis no mercado, mesmo se tratando de instrumentos membrafônicos (produzem seu som através de uma membrana e/ou pele) podemos obter sons e tonalidades “definidas”, ou seja, ter uma nota quase ou se não exata. Alguns modelos como os que a DW fábrica por exemplo, já saem de fábrica com a nota de referência à qual o instrumento deve ser afinado, tudo em prol da agilidade do músico e melhor aproveitamento do som do tambor.

Mas e o resto?

Cadê a essência Clodoaldo? – Que pele eu uso? – Essa batera é boa? – O que a baqueta influência? Aro, não é só pra apertar? – Por que eu não consigo afinar meu tom de 10″ grave?

São todas estas perguntas as quais me deparo todos os dias por parte de alunos, grupos de WhatsApp e mensagens nas redes sociais, por isso resolvi passar um pouco do que aprendi nesses anos desde 1998 tocando, para facilitar a vida de vocês e acabar de vez com alguns mitos.

E ao compilar todas essas informações para aqui escreve-las, sabe o que eu achei mais engraçado!?

Eu vou complicar ainda mais a vida de vocês!!! (rsrsrs) – Mas calma, elas podem parecer complicadas de início, mas ao perceberem a ligação lógica entre essas “engrenagens” fica fácil perceber a totalidade, e com o tempo se torna algo lógico, cristalino e instintivo.  

Primeiro anota aí no seu caderninho de “Leis Naturais e Irrevogáveis da Bateria” a seguinte frase!  

“A FISIOLOGIA DO TAMBOR E TUDO QUE NELE AGREGA E INTERFERE DIRETA OU INDIRETAMENTE REFLETEM NO SOM DO SEU INSTRUMENTO”

E aí você me pergunta: “- Clodoaldo! Que coisa é essa?”  

Significa que TUDO! exatamente TUDO! vai interferir no som do seu tambor, ou seja, se eu afinar um tambor de 10″ e um de 16″ e tocar neles eu vou tirar um som que vamos chamar de ENVELOPE DINÂMICO. Se qualquer outra pessoa tocar nos mesmos tambores, ela irá tirar um outro ENVELOPE DINÂMICO!

Mas Clodoaldo isso interfere na afinação?

Não na que nosso ouvido humano limitado ( E na maioria das vezes surdo) perceba na maioria das vezes, mas um microfone sim irá perceber, principalmente as micro afinações e/ou “comas” que existem entre os semitons e tonalidades que ouvimos, isso também vai implicar no:

Ataque (Attack) – é o início de cada nota musical, ponto de maior pressão e impacto para se gerar o som, pode ter maior massa sonora do tambor onde você mais ouve ele. Dependendo do instrumento, o ataque pode durar de alguns centésimos de segundo até mais de um segundo.

Decaimento (Decay) – Em alguns instrumentos, após o ataque o som sofre um decaimento de intensidade antes de se estabilizar, este tempo de redução/queda do som, pode ser no primeiro instante logo após o ataque, ou segundo o Teorema de Helmholtz que aplica o decay após o sustain do som até sua extinção. Normalmente dura apenas de alguns centésimos a menos de um décimo de segundo. O decaimento é claramente perceptível nas notas do tambor.

Sustentação (Sustain) – corresponde ao tempo de duração da nota musical. No caso dos instrumentos me,brafonicos está sustentação está prporcionalmente ligada a força, o que não significa que quanto mais forte batermos, mais o som irá se sustentar, mas sim conseguirmos achar o ponto de força onde a madeira do tambor melhor responde ao golpe. Durante este tempo a intensidade é mantida no mesmo nível. Em alguns casos o som nem chega a se sustentar e o decaimento inicial já leva o som diretamente ao seu desaparecimento.

Relaxamento (Release) – final da nota, quando a intensidade sonora diminui até desaparecer completamente. Pode ser muito brusco nos tambores ou muito lento, como nos pratos por exemplo.

Ataque, Decay, Sustain e Release  juntos são chamados de ENVELOPE DINÂMICO.Afinação da Bateria - Como ter um som perfeito

 ENVELOPE DINÂMICO é o seu RG na bateria ele é o que te identifica através do som, isso é único e cada um tem o seu. E para construirmos o envelope dinâmico (SOM) que queremos precisamos desmembrar cada peça que possa interferir no mesmo. Então está na hora de encostar os pauzinhos de lado, por enquanto, e mão na massa, ou melhor, no tambor!

No próximo artigo falaremos dos tipos de madeiras mais utilizadas pela indústria baterística, e das suas propriedades e características, que vão facilitar sua vida na construção do seu som!

#Bumbonorim e #Caixanozoio !

Outros artigos

error: Todos os direitos reservados. Proibido a reprodução de qualquer forma.
× Fale com o professor