Bateria e Percussão no Tratamento da
Síndrome de Klinefelter

A síndrome de Klinefelter ocorre quando uma pessoa do sexo masculino apresenta um cromossomo X a mais. Pode parecer pouco, mas a alteração da genética clássica desses indivíduos, que é formada por um cromossomo X e um Y, pode levar a alguns problemas mais complexos e que acompanham a pessoa por toda a vida.

Ao contrário do que pode parecer, a síndrome de Klinefelter não é uma doença rara, aliás, muito pelo contrário. Essa síndrome é uma das condições genéticas mais comuns do mundo. Aproximadamente 1 em cada 660 pessoas do sexo masculino apresentam a doença, também é conhecida pelos nomes de Síndrome 47, XXY, Hipogonadismo.

Portadores da síndrome de Klinefelter apresentam sinais distintos e característicos para cada fase da vida. No entanto, muitos podem não manifestar nenhum tipo de sintoma até a vida adulta, já outros apresentam efeitos notáveis da doença tanto no crescimento quanto na aparência, além de problemas na fala e dificuldade no aprendizado.

Comorbidades

Os sinais e sintomas da síndrome de Klinefelter variam de acordo com a idade e podem incluir:

Personalidade dócil e silenciosa, atraso na fala, hipotônicas, desenvolvimento motor lento, pernas mais longas, braços mais curtos, torso e quadris mais amplos em comparação com outros meninos, puberdade ausente, atrasada ou incompleta, músculos pouco desenvolvidos, ossos fracos, baixos níveis de energia, dificuldade para expressar sentimentos ou socializar, problemas com leitura, escrita, ortografia ou matemática, problemas de atenção, estatura maior que a média.

Aumento do risco de doenças autoimunes, como diabetes do tipo 1 e lúpus, osteoporose, aumento do risco de câncer de mama e leucemia, aumento do risco de doença pulmonar, problemas com a função sexual e infertilidade, déficit de atenção ou problemas de desenvolvimento social e etc…

Intervenção através da Bateria

A intervenção através da bateria e da música na síndrome de Klinefelter neste caso se dará na questão do fortalecimento muscular, na melhora da coordenação motora e um melhor alinhamento e equilíbrio do aluno.

Quando o aluno apresentar um atraso na aprendizagem vamos identificar qual a amplitude do atraso, trabalhar de forma lúdica a ligação primeiramente da parte auditiva e da parte sinestésica, após isso daremos ênfase a parte visual, primeiro de forma lúdica e quando houver a possibilidade a inserção da partitura, ou mesmo figuras das peças da bateria.

No aspecto social, vamos trabalhar as emoções e frustrações decorrentes da síndrome de Klinefelter, criando um vínculo ao qual possibilite o aluno se abrir mais sobre o que ele sente, e vamos direcionar estas emoções para a bateria, de maneira que ele consiga colocar estes sentimentos pra fora da forma como ele se sente, e dando a ele o auto entendimento deste sentimento, passando a ideia de que ele está no controle destes sentimentos, e não a nada errado nisso.

Criando assim uma autoconfiança e autoestima no aluno, para que ele possa ter uma qualidade de vida melhor.   

AGENDE SUA AULA

Aula experimental gratuita

Algumas das síndromes e transtornos que podemos auxiliar no tratamento através das aulas de bateria:

Menu
error: Todos os direitos reservados. Proibido a reprodução de qualquer forma.
× Fale com o professor