Bateria e Percussão no Tratamento do
Transtorno Opositivo Desafiador (TOD)

O Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) é um transtorno neuropsiquiátrico classificado como transtorno de comportamento disruptivo.

Disrupção, neste caso significa comportamento externalizante negativo, tanto para quem provoca quanto para quem recebe as ações deste comportamento.

É um transtorno que atinge cerca de 6% das crianças e adolescentes no Brasil, ou seja, é um transtorno relativamente comum, que abrange quase a mesma média que outros transtornos como o TDAH por exemplo.

Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) é comumente confundido com a chamada “Birra ou manha”. No entanto precisamos saber diferenciar, pois esse comportamento de birra é quando a criança não sabe se expressar direito e ocorre entre 1 e 4 anos de vida, é mais forte até os 2,5 anos de vida, é um comportamento passageiro que a criança geralmente usa para obter algo que deseja naquele momento.

O TOD é um comportamento por via de regra, que abrange crianças maiores (a partir dos 6 anos em média, mas há suas exceções) e adolescentes, onde já entendem questões de regras e hierarquias, e tem como padrões comportamentais os seguintes fatores:

Transgressão: Tem dificuldade ou não aceitam regras sem escrúpulos e sem se sentirem constrangidas por isso.

Oposição: Tendência a tomar decisões contrarias as esperadas mesmo quando sem argumentos

Discussão: Tendências a discutir e brigar de forma deliberada sem motivos apenas para mostrar sua razão

Descontar: Hábitos vingativos em determinados momentos, se colocando em posição de vítima para criar motivos para revidar o que ele considera como ataque, para poder impor aquilo que quer, em alguns momentos também não se preocupa se essa atitude pode magoar ou ofender o outro

Irresponsabilidade: Mesmo cometendo erros, magoando, ofendendo ainda sim se recusa a reconhecer, não assume que cometeu determinado erros ou culpa pelas, suas ações por mais que tenha sido comprovado e provado a ela que a mesma cometeu determinado erro.

Soluções agressivas: Quando querem algo pedem e agem de forma agressiva, resolvem tudo de forma brusca e agressiva, explosões súbitas de humor

Não se preocupa com Punições: Ou seja, não mede consequências para ter o que deseja, isso quando em um perfil adulto, pode fazer com que o mesmo se envolva com grupos errados perante a sociedade, podendo desenvolver a delinquência e marginalidade.     

Comorbidades

É comumente associada ao TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade), Autismo (Transtorno Do Espectro Autista – TEA), Transtorno Bipolar. Por ser um distúrbio comportamental, seu tratamento está em medicamentos controladores de humor, terapia de manejo parental e do aport escolar.

Intervenção através da Bateria e/ou Percussão no Transtorno Opositivo Desafiador (TOD)

Intervenção através da Bateria e/ou Percussão no Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) e da música de modo geral, neste caso, fara um papel de ligação entre a terapia de manejo parental e do aport escolar.

Após feito um levantamento do real quadro do aluno juntamente com a família, e entendendo onde estão as falhas ou interrupções de comunicação entre o aluno e a família, vamos trabalhar as emoções do mesmo através da música, estimulando a lidar com essas emoções e frustrações, e aos poucos introduzir noções e valores de respeito e hierarquia familiar, sempre afim de facilitar a comunicação posterior entre o aluno e a família.

Através da Intervenção da Bateria e/ou Percussão no Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) conseguimos fazê-lo expor todos os sentimentos de contrariedade, raiva e revolta, unindo o gosto musical que ele possa vir a ter, e ir apresentando músicas com frequências que estimulem o mesmo a colocar tais sentimentos para fora.

Usando a parte motora e física que a bateria exige conseguimos fazer com que ele descarregue isso no instrumento sem se agredir ou ofender ninguém. Durante a aula são colocados alguns questionamentos ao aluno, para que ele reflita e ao final da aula são relembrados, para que se não concluídos durante a aula o mesmo seja desafiado a refletir em casa, no entanto esse desafio é sempre de forma pacifica e amorosa para que ele saia com o sentimento de leveza e não de peso e obrigação da aula.

Sobre tudo cinco alicerces têm como base para o regimento da aula de uma maneira sadia e pacifica.

O elogio sempre que o mesmo conseguir sobrepor um exercício musical ou mesmo reconhecer um sentimento ou ato errado que cometera.

O diálogo, deixando o expor seu ponto de vista até que se veja esgotado de argumentos e possa se dedicar a ouvir o professor.

O exemplo, sempre com uma postura aberta, hierárquica, mas ao mesmo tempo amorosa.

A recompensa, está a ser definida em comum acordo com o aluno para que o mesmo veja valor e sinta vontade de conquista-la.

E a Amizade, criando um vínculo de confiança com o aluno, onde o mesmo possa se abrir e apontar fatores e situações que possam depois ser levados a família para serem trabalhados em conjunto a fim da melhora do aluno.

Todavia, a Intervenção através da Bateria e Percussão no Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) é um processo lento e demorado, que demanda sobre tudo do quão agressivo e receptivo o aluno é, e o quanto ele se abre para essa troca de amizade e reciprocidade entre professor e aluno. Resultados significativos e evidentes são melhores mensurados no decorrer de um ou dois anos.

AGENDE SUA AULA

Aula experimental gratuita

Algumas das síndromes e transtornos que podemos auxiliar no tratamento através das aulas de bateria:

Menu